Formação Universitária nos EUA tem “atalho” no esporte

Tênis Universitário

Os Estados Unidos são uma potência olímpica e muito desse desempenho se deve pelo seu alto investimento no esporte universitário no país. O que muitos brasileiros não sabem é que este pode ser o caminho para uma formação de excelência. graças às bolsas de intercâmbio esportivo. Todo ano, novas vagas ficam disponíveis para que jovens com talento para o esporte consigam cursar a graduação em instituições de ensino superior por todo o território norte-americano.

Foi o caso de Juliana Bacelar, tenista goiana que viu no esporte uma oportunidade para concluir os estudos nos Estados Unidos. Bacelar começou no tênis em sua adolescência e partiu para o exterior em busca de melhorar seu nível de tênis, além de ampliar seus conhecimentos com o curso de graduação ofertado pela San Jose State University. Para ela, o tênis teve papel fundamental em sua vida, proporcionando oportunidades incríveis de crescimento por todo o período em que foi aluna e, agora, auxiliar técnica da universidade.

“O tênis é maravilhoso na minha vida. Ele me deu oportunidade de viajar o mundo inteiro, conhecer pessoas, me deu uma formação profissional e segue me presenteando dia após dia. Quem eu puder incentivar para jogar tênis, fazer os passos corretos, jogar com disciplina e aprender a língua estrangeira, eu vou fazer, pois é certa a gratificação que vem depois”, disse a tenista.
Bacelar falou, ainda, que a sua universidade está a procura de novas jovens e que a comissão técnica espera, para agosto de 2017, formar seu time com a oferta de cinco bolsas de intercâmbio esportivo de tênis. Ao todo, são ofertadas mais de 12 mil bolsas por ano para atletas de tênis em mais de mil universidades nos Estados Unidos, entre elas as conceituadas universidades de Harvard, Stanford, Duke, Berkeley, entre tantas outras.

As famílias dos tenistas também reconhecem a importância do intercâmbio esportivo. Como é o caso de Miguel Carvalho Junior, que viu seu filho, Matheus Carvalho, conseguir uma bolsa parcial e se formar em administração na Davenport University, de Michigan, graças ao esporte.
“Essa foi uma das mais importantes experiências da vida do Matheus. Tudo isso, por conta do tênis. O contato com diversas culturas, ensino de excelência e exigência constante foram de suma importância para o amadurecimento do meu filho. Pude atestar isso na oportunidade de visitá-lo, perto do fim do curso, no qual vi toda a organização do esporte universitário de perto”, relata Miguel.

Há empresas no Brasil responsáveis por fazer o intermédio entre a universidade interessada e o adolescente com potencial para a vaga. Cabe ao aluno conseguir boas notas no teste de proficiência (TOEFL) e também no Ensino Médio.

Texto: Nelson Júnior

Foto: @fotojump

Original: Tribuna do Norte





  • Bradesco
  • Protege-logo
  • malacrida-png
  • rock-e-ribs-parceiros
  • arena-fut7-parceiros
  • cna-png